3.5.08

O não-comentário do ano

Há um bom tempo estava querendo NÃO comentar um assunto: o que ficou conhecido como "Caso Isabela".

Cheguei no salão e a moça lavando meu cabelo falou, do nada: "E esse caso da menina Isabela, hein? Que que você acha?" Bicho, eu achei um absurdo tão grande, mas tão grande que só pude dizer: "Não estou acompanhando, não." E a carinha dela, de espanto: "Nããão?!?!?"

Aí fui explicar pra ela por que não:

Pra mim, isso virou uma novela. Cada dia, os jornais inventam um capítulo diferente. Se não têm nada pra falar, colocam um helicóptero em cima da casa da mãe do pai, pra ver o namorado da irmã do pai sair de moto de manhã. Em todos os programas populares só se fala disso, de manhã, de tarde, de noite, de madrugada. E todo mundo com aquela cara de indignado.

Mas porque a mídia faz isso? Porque tá dando audiência, e audiência leva a publicidade nos intervalos. Publicidade, claro, é igual a dinheiro. Não vem com essa de que estão preocupados com a punição dos culpados, a vida da coitada da menina, etc e tal. Não estão. E não estão porque quem quer que tenha sido culpado, isso não vai influenciar na vida do Brasil inteiro, de tal forma que se justificasse esquecer todos os outros assuntos.

Reflita comigo: se essa menina tivesse morrido no interior do Acre, a Ana Maria Braga falaria sobre o mesmo assunto um mês inteiro? Ela e todos os outros programas e jornais? Aliás, nenhuma outra criança morreu ou sofreu violência este mês no país? Vai ver que o pai e a madastra vão sair matando todas as crianças do mundo. Cuidado!

Preocupação com a vida da menina? Me poupe. A menina, coitada, já morreu. A mãe, que já perdeu a filha, perdeu também a privacidade. Está tendo a vida invadida, falada, comentada, extremamente desrespeitada. Liga a televisão e vê a foto, ou o vídeo da apresentação da menina na escolinha. Que preocupação hein? Que consideração!

E ainda tem um bando de idiotas querendo invadir a casa dos suspeitos. Aí aparece um babaca dizendo que tem uma filha da mesma idade e quer fazer um protesto. Em frente às câmeras, pro país inteiro. Posso imaginar ele falando: "Filma desse lado, que é meu melhor ângulo". E meus colegas jornalistas dando espaço, como se isso fosse notícia. Já virou fofoca há muito tempo.

Mas a questão com a mídia é mais profunda ainda. A moça que trabalha aqui em casa foi quem me corrigiu. "Eles mostram isso é porque a gente quer ver". Lógico, senão não teria audiência. "A gente" quer ver as cenas do próximo capítulo. "A gente" quer descobrir quem é o vilão. "A gente" quer ver a mocinha sofrer. Ouvi inúmeras pessoas dizendo que a mãe da menina está muito fria. "Nem parece que está sofrendo". Puta que o pariu. "A gente" quer ver a desgraça alheia escancarada. "A gente" quer ver dor, gritos e desespero. A mulher não pode escolher nem se vai sofrer calada, se vai chorar no quarto, ou se o jeito dela é esse mesmo. "A gente" vê, julga e condena. "A gente" sempre pára quando vê um acidente, atrapalhando a equipe de resgate, atrapalhando a respiração da vítima, por que "a gente" quer espetáculo. É isso que "a gente" sempre quer: espetáculo.

É claro que não falei tudo isso nem pra moça do salão, nem pra moça que trabalha aqui em casa. Fiz um resumo mais superficial. Mas se "a gente" quiser comentar esses aspectos do caso, fique à vontade. Não me venha perguntar o que achei do capítulo anterior.

5 comentários:

Nessinha disse...

Shiu como sempre fiquei embevecida ao ler seu ultimo post, finalmente alguém disse, ops...escreveu o que eu gostaria de ter escrito , mas de forma super coerente e de fácil leitura....adorei...concordo com tudo que vc disse, pois naum aguento mais vir almoçar e ligar a tv e só ver "o caso Isabella", chega, naum aguento mais isso....virou assunto para programas futeis...
Mais uma vez digo que adorei vc é sábia e sabe usar o dom da palavra, da oratória....Bjos
E Caio como esta?
Bjo

Nessinha disse...

É admirador secretissimo minina...ta demais, logo comigo que sou super, hiper, mega, ultra curiosa.....hehehehehehe
Bjo !

Mi do Carmo disse...

Assino embaixo.
Mas questiono muito quando alguem diz: " a culpa TODA é da mídia"...

Shirley de Queiroz disse...

A culpa "toda" não, Mi. Se o povo não quisesse ver, se mostrava menos, eu acho...
Mas vai saber...

Sheila disse...

A história dessa garota fez com que muita gente repensasse o modo q tratam seus filhos... fez com q as emissoras ganhassem um dinheirão e até o q tiozinho do picolé faturasse!
E como vc falou fez com q uma nação se voltasse contra os "dois sem alma" como se eles fossem culpados por todas as violências contra as crianças...
Eu assino embaixo tudo q vc falou!